COMENTÁRIOS DE ALAN WATT (Exemplo de Conversa Educacional):

"ESQUEMAS DE NOVA ORDEM PARA

RASTREAR TEUS SONHOS

(O novo cartão de IDentificação é uma má IDéia)"

7 de junho de 2007

 Direitos de Diálogo de Alan Watt – 7 de junho de 2007

(Exceto Música e Cotações Literárias)

WWW.CUTTINGTHROUGHTHEMATRIX.COM

 www.alanwattsentientsentinel.eu

 

 Olá pessoal. Sou Alan Watt e estes são cuttingthroughthematrix.com e .net,  .org,  .ca  e etc.  Você também me encontrará em alanwattsentientsentinel.eu. Hoje é 7 de junho de 2007.

 

Esta semana ultrapassei o limite de banda permitido para o desempenho de um dos sites. Isso ocorreu com o .com, de modo que, os acessos a esta página, supostamente, estão sendo transferidos a outro site. Toda a informação segue ali. Para mim é muito estranho isso de exceder o limite, ainda mais quando se está somente na primeira semana do mês, e entrando na segunda. Então, qual é o problema? É apenas a vida como ela é… uma vida muito estranha, por certo.

 

Hoje, vou falar um pouco mais a respeito dos cartões de identificação RFID (o chip de Identificação de Rádio Freqüência). Mark Baard do site Parallel Normal.wordpress.com fez uma pequena observação sobre esse tema.

 

Comenta:

 

            "Um consultor da indústria tecnológica afirma que o chip RFID protegerá o indivíduo."

 

Alan:  Logo abaixo do texto, segue uma foto do Secretário de Segurança de Homeland, Michael Chertoff, um tipo de aparência muito macabra; parece o típico supervisor de execuções de massa, com aqueles olhos de um negro profundo, de olhar parado e fixo, e que nos acostumamos a encontrar  em filmes como “O Exorcista".

 

Segue:

 

            "Ele é o tomador de decisões em questões de segurança pública e chips RFID (o Secretário de Segurança de Homeland)…"

 

Alan: Tudo isso é muito curioso. Sabemos, por exemplo, que este tipo de informação é mais um “deve ser” da história, parte de todo um negócio que circunda ao redor dos chips de identificação. Antes do “11 de setembro”, Wendy Mesley, do canal de televisão da CBC (a Canadian Broadcasting Corporation) fez um documentário especial a respeito dos futuros cartões de identificação (os chips de ID), os quais seriam necessários para viajar, em passaportes, e etc., com a tua vida metida neste chip, creio, neste cartão.  Essa apresentadora acompanhou o processo de identificação com uma outra pessoa da sua equipe, que solicitou esse novo tipo de passaporte.  Lembre-se que estamos falando de antes do 11 de setembro. Eles passaram por todo esse processo, além de conversar com alguns dos “cabeças” dos bancos que dirigem essas companhias (as companhias do “chip”). Respondendo à pergunta feita a um desses líderes sobre o que faz eles pensarem que a opinião pública aceitaria esse novo sistema, o sujeito respondeu, sem hesitar: "essas pessoas não terão outra opção". Se você pensava que o 11 de setembro foi uma casualidade, esqueça-o. Isto foi longamente planejado, antes dessa data.  Na Grã-Bretanha, tentaram implantar este mesmo tipo de chip de identificação nos passaportes; isto antes de 11 de setembro, no final dos anos 90. Devido a isso, houve até mesmo agitação no parlamento britânico com protestos contra todo tipo de informação e detalhe pessoal que se incluiria nesse cartão.

 

Voltando ao artigo citado na Parallel Normal.wordpress.com, pontua:

 

            "A maioria das corporações poderá evitar processos judiciais iniciados à causa de ataques terroristas, mesmo se falham em proteger os direitos do consumidor, utilizando os cartões RFID, isto de acordo com um advogado que ajudou a redigir esta lei e que agora dá aconselhamento jurídico às empresas de RFID."

 

Alan: Este é o típico padrão de comportamento.  Você pode escolher qualquer político em ascensão e o verá lutando por seu ego na escalada ao topo, tentando satisfazer seus chefes, por que a única coisa que um psicopata respeita é alguém mais poderoso e em uma maior posição que ele. É por isso que as organizações militares funcionam. E mais, tudo depende do grande governo paralelo que decide colocar seus escolhidos aqui e ali para cumprir com suas agendas, enquanto eles governam e têm suas ordens cumpridas.  Dessa forma, eles se ocupam de outras áreas. O sujeito em questão ajudou a redigir a lei, e agora dá aconselhamento às empresas fabricantes de RFID. Como vemos, é público e privado. A coisa toda funciona como um novo sistema feudal, sobre o qual o Professor Carroll Quigley falou a respeito; isto é assim, e tem sido assim por muito, muito tempo. Na verdade, tem sido assim desde que começaram a chamar isso de "democracia," para, em seguida, te colocarem num sono profundo.

 

            "A lei, o SAFETY Act. (Ato de SEGURANÇA) …"

 

Alan:  Se chama "segurança".  Aqui vemos mais uma vez: eles, os totalitários, amam essas expressões de efeito. Isto faz parte do perfil dos psicopatas, pois são os termos que eles usam para acalmar as ovelhas, utilizando boas palavras como "social", "seguro" ou “segurança”… Assim, este é o…

 

            "…Ato de SEGURANÇA de 2002, feito para companhias de proteção de responsabilidade civil em caso de danos e prejuízos causados pelo uso de tecnologias aprovadas pelo Departamento Norte Americano de Segurança de Homeland. O Ato de SEGURANÇA também auxiliará a Segurança de Homeland com o amplo objetivo  de promover a idéia de que os equipamentos de rastreamento são absolutamente necessários para proteger a população Norte Americana".

 

Alan: É para “proteger” você! Um totalitário irá proteger você colocando-lhe algemas. Não é lindo?  Sabemos que muita gente não se indignará com isso, simplesmente, por que elas já estão acostumados a isso, no sentido de que continuam se comportando como crianças, eternas crianças, que supostamente querem brincar enquanto especialistas e totalitários tomam conta de suas vidas e de todos os seus problemas. Foi assim que essas pessoas cresceram, foram educadas e tiveram suas vidas vividas através de outros, assistindo a todo tipo de programa de ficção pela televisão.

 

            "Wal-Mart…"

 

Alan: Adoro o logotipo do Wal-Mart, com sua estrela de cinco pontas entre o Wal e o  Mart. Isto diz tudo o que você precisa saber, além do fato de que eles adoram muros, ao largo de toda a história, não importa se era o Muro de Adriano, a Grande Muralha da China, Wall Street ou o Muro das Lamentações. Eles adoram muralhas espalhadas por todo o planeta. Esta é uma das marcas registradas dos grandes construtores; em inglês, a palavra WALL: “MURO” ou “MURALHA”, se escrita ao contrário vira LAW, que  significa “LEI”, enquanto que MART, se escrita ao contrário vira “TRAM”, que significa bonde ou trólebus.

 

            "…Procter & Gamble…"

 

Alan: Esta é outra grande companhia que tem estado nesse negócio de alterar nossa natureza através de certos produtos, por muito, muito, muito tempo. Aí está, outro logotipo bem interessante, este da  Procter & Gamble. Vale a pena observá-lo com mais atenção. Também…

 

            "…Tesco and Target estão entre as companhias de planejamento responsáveis por etiquetar e rastrear individualmente os artigos vendidos em lojas …"

 

Alan: Adoro como eles estão sempre “planejando” — eles tem feito isso por muito tempo. Tudo o que está exposto para ser vendido em Wal-Mart tem um chip inserido em algum lugar, de forma a…

 

            "…rastrear individualmente os artigos das lojas e seus compradores, desde o momento em que estes entrem na loja até que passem pelo caixa, e daí em adiante... Tom Ridge, ex-secretário da Segurança de Homeland, por sua vez, afirmou que o departamento tem total confiança da informação obtida pelos equipamentos leitores de RFID. O Departamento de Segurança de Homeland poderia extrair os dados, o qual inclui detalhes da compra e os locais onde as etiquetas são detectadas, em caso de atividade suspeita.  O advogado das empresas de RFID…"

 

Alan:  Advogados… outra vez.

 

            "…Ray Biagini considera que a tecnologia RFID é um bom candidato para cobrir as exigências do Ato de SEGURANÇA."

 

Alan: Acredito, seriamente, que qualquer coisa poderia estar sujeita ás ordens do Ato de SEGURANÇA, você não acha? Até mesmo sapatos. Eles poderiam nos vender um par com correntes entre eles, assim, você não tem que dar um passo tão largo, o que poderia te machucar fazendo-o cair.

 

            "O RFID pode “melhorar a saúde e a segurança públicas de diversas maneiras,” assegura Biagini na última tiragem do RFID Journal…"

 

Alan:  Você viu isso? Eles têm sua própria publicação!

 

            "…uma revista de negócios."

 

Alan:  Em outras palavras, este é um “deve ser” de alta maçonaria, em que eles possuem suas próprias revistas publicadas.

 

            "SECURITY…" (segurança)

 

Alan: Assim: tudo escrito em letra maiúscula. Eles adoram essas terminologias... É tão cômico observar como essa gente trabalha... Os psicopatas têm sua característica própria e quando prestamos a atenção nelas, quando a entendemos, então, descobrimos quem eles na verdade são, e isto tudo é bem típico deles.

 

            "…SAFETY (Suporte Anti-Terrorismo de Fomento à Eficácia Tecnológica)…"

 

Alan:  Oh!

 

            "…oferece à Secretária de Segurança de Homeland total liberdade para defender uma companhia contra ações judiciais …"

 

Alan:  É realmente um ato de segurança proteger as grandes corporações!

 

            "…através da certificação de que tal companhia está utilizando tecnologias com o fim de proteger os recursos e pessoas da nação."

 

Alan:  Parece que o cidadão comum não é pessoa…

 

            "…advogados de responsabilidade jurídica, empresas de proteção e oficiais de Segurança de Homeland deixaram o Ato de Segurança (o SAFETY Act) como um último recurso…"

 

Alan: Oh, eles adoram essas situações de último recurso.

 

            "…de acordo com uma das minhas fontes, depois do 11 de setembro, um lobista…"

 

Alan: Tudo é feito neste sentido, através de lobistas.

 

            "…para as empresas de tecnologia de Washington. Na verdade, Biagini, um funcionário do escritório de advogados McKenna Long & Aldridge, alega que ele mesmo redigiu muitas das cláusulas do SAFETY Act."

 

Alan:  Bravo, bravo! Não é lindo? É como se você estivesse numa pequena empresa que fizesse qualquer trabalhinho e, de repente, aqui está você: um membro pertencente à família certa, lançando mão da sua linhagem e conexões familiares e utilizando todas as camadas sociais das corporações e organizações não-governamentais - as que são oficiais, claro, e que estão associadas às Nações Unidas – e então você pega uma lei aprovada, que faz com que o seu produto seja vendido e comprado pela população. Não é um mau negócio, hein?

 

            "Advogados de acusação afirmam que as medidas de reforma a tais delitos são injustos aos consumidores. Por exemplo, imagine se metade da sua família falece depois de escovar os dentes com a pasta Gleem, da Procter & Gamble, cuja embalagem contenha um chip identificador RFID da rede de supermercados Wal-Mart. Se o governo culpa os terroristas por envenenamento, poderia ser impossível para você processar a empresa varejista, ou seus fornecedores, por não haverem tomado as medidas de segurança adequadas – isto, se essa condição estivesse incluída dentro do raio de segurança da etiquetas da Segurança de Homeland. Mas, dada a sua influência na Segurança de Homeland, Biagini (á direita)…"

 

Alan:  Sua foto está à direita; um promissor jovem psicopata.

 

            "…a indústria dos RFID parecem estar dispostos a obterem os certificados do SAFETY Act."

 

Alan:  Eles vão obter esse certificado por que isso já estava escrito nos livros de muito tempo atrás. Este é outro "deve ser" desse mundo planejado e artificial que eles querem que se torne real.

 

            "Tom Ridge, o Ex-Secretário de Segurança de Homeland e pelo menos um de seus auxiliares estiveram trabalhando para a indústria do RFID…"

 

Alan:  Oh, surpresa, surpresa!

 

            "…junto ao ex-secretário de Saúde e Serviços Humanos, Tommy Thompson. Dessa forma, vemos como as indústrias farmacêutica e alimentícia começam a solicitar proteção do SAFETY Act para seus produtos que contenham a etiqueta RFID, assim, como o selo de certificação ´DHS´ - Departamento de Segurança de Homeland (à sua esquerda), como argumento de venda."

 

Alan:  Lembro-me quando, no Reino Unido, e considerando que o sistema econômico e político de todo o mundo tem como base o sistema Britânico (ou sistema de Londres) e no Commonwealth (o qual, por si próprio, possui um amplo leque de altos membros de gabinete privado, por que em verdadeiras democracias, como a Britânica, também há um conselho privado; que é um tipo de conselho particular, formado por pessoas não eleitas).  No entanto, alguns dos supostos eleitos também comparecem ali, todos recebem suas ordens, aprovando leis que afetam toda a população. Muitas vezes, a população desconhece quem são esses membros privados e o conselho particular, ou conselho privado.

 

Você já viu uma corporação pública/privada dirigindo uma democracia por muito tempo. Um bando dessas pessoas e os políticos, que estavam na Câmara dos Comuns e na Casa dos Lordes, vieram com a idéia de privatizar o abastecimento de água de todas as cidades e vilarejos do Reino Unido; aconteceu o mesmo com o gás natural. Como sempre, a população tem pagado pela construção de todas essas grandes infra-estruturas de encanamento de gás e água, e todo o resto, através do dinheiro de suas taxas.  Eles fazem tudo isso e clamam que não há custo real.  “Meu Deus, temos que privatizar isso!”  E os políticos promovem a coisa toda.  Assim, quando deixam seu posto, mais ou menos dois anos depois de que suas leis tenham sido aprovadas, eles, simplesmente, passam a fazer parte das companhias que ganharam a concorrência e, então, esses sujeitos acabam sendo os donos do abastecimento de água e gás britânicos.

 

Eles também estão no Canadá. Não sei se ganharam a concorrência aqui, mas estiveram tentando fazer a mesma coisa há quatro ou cinco anos. Muito provavelmente, eles ganharão a concorrência porque recebem ordens para tomarem conta do mundo. Este é o seu trabalho. Haverá uma única corporação que se encarregará do suprimento de água mundial. Espere e verá. O mesmo ocorrerá com o resto. Quando, ao final, perceber que esses grupos dominam todas as coisas que você necessita para viver, aí, você verá que todas fazem parte da elite dominante: o ponto crucial da pirâmide.  Entre no site do Parallel Normal.wordpress.com, de terça-feira, 7 de junho de 2007 e veja por você mesmo.

 

Há um velho ditado que diz: se você não conhece a sua própria história, será destruído por repeti-la. Não há nada mais verdadeiro que isso. Ao pensarmos nos movimentos sociais que trouxeram a democracia, quem realmente deu o primeiro empurrão em direção a essa democracia?  A maioria das pessoas morreria por ela. Eles lutariam e morreriam por ela, por que lhes disseram ou ordenaram para que assim fosse feito, ainda que jamais se dessem ao trabalho de olhar para a história passada, ou, pelo menos, saber o que aquilo significava.

 

Temos aqui um tipo de versão de jardim de infância, com uma sociedade caridosa que apenas se expandiu, com pessoas protestando... para então encontrarmos com os movimentos cartistas e todo esse tipo de coisas relacionados a protestos populares e demonstrações passivas de luta pelos direitos das pessoas. A forma que utilizam para manter o poder é pré-dizer o que está por vir, mantendo a impulsividade das pessoas constantemente atualizada. Estão sempre atentos aos movimentos. Assim, se percebem que algo está surgindo, primeiro o institucionalizam em organizações populares, antes que eles mesmos o façam, para depois passarem a liderar os movimentos. Dessa forma, você idiotiza a ovelha, uma vez mais, para a próxima fase do controle. Para as pessoas que pensam que uma elite que controla o mundo por milhares e milhares de anos dentro de um sistema monetário e econômico, em forma de servidão feudal, poderia simplesmente desistir por que se tornou gorda, preguiçosa e estúpida, então, realmente, estas pessoas devem se manter na versão do jardim de infância. Creio, que pensam assim por que, talvez, isso é tudo o que elas podem suportar.

 

A elite nunca foi estúpida. A elite teve, por milhões de anos, religiosos que se especializaram na história e psicologia das pessoas. As técnicas são maquiavélicas; e, com isso, nos deram uma forma de democracia, pois a elite sempre soube que dessa maneira determinam o futuro. Eles estão sempre nos guiando a um futuro planejado. A Nova Ordem Mundial está sempre se renovando. É uma história que nunca termina. Os grandes construtores da civilização, com a antiga alegoria de Nimrod, nunca acabou. Eles estão sempre planejando o futuro e, portanto, nunca perdem o controle. E porquê eles permitiriam que as pessoas tomassem o controle, se eles pertencem ao império (na sua própria e pequena religião) de deuses? 

 

As revoluções que foram levadas a cabo foram “grandes experimentos”; assim as chamavam nos velhos livros de história. Elas foram impulsionadas pelos grandes bancos de Londres e Nova York, ainda que a primeira revolução ocorreu na Inglaterra — as pessoas se esquecem disso — e isso conteve a monarquia: uma antiga, muito antiga monarquia. Essa estranha combinação de monarquia democrática, onde todo mundo que trabalha como um serviçal público e que, em primeiro lugar, jura lealdade à realeza, em respeito à rainha e a todos os seus herdeiros, de forma perpétua, antes de prestarem qualquer juramento para defender sua posição junto à comunidade. Isso vai do topo até os policiais novatos, ou o exército privado, e o mesmo acontece com todos os países da Commonwealth.  No entanto, se você observa a história, a idéia geral (registrada em documentos, pois há sempre uma idéia diferente escrita nos documentos), sobre democracia e que parecia ser amplamente oposta à realeza e aristocracia que dirigiam o grande show, era oposta ao feudalismo.

 

Acreditamos nas teorias e nos esquecemos da realidade. Vivemos uma forma de pensamento ambígua porque, se você tem duas idéias co-existindo, então, você vive em dualidade, e não é possível ter as duas formas de pensamento ao mesmo tempo. É uma ou outra, e pensar que uma aristocracia muito antiga e inteligente dirige o dinheiro, o comércio e a população do mundo (uma boa parte do mundo) por milhões de anos, de repente se viraria para nos dizer: “Bem, olha amigo, você nos venceu de maneira honesta. Agora você pode ter democracia. Nós vamos nos retirar para curtir a vida e jogar pólo”. Isto é conto de fadas para crianças. É por isso que os termos que tem sido usados para dirigir as pessoas, tais como atos de segurança, segurança pública, trabalho social, e etc., todas essas frases de efeito, as quais usamos quando nos referimos a grupos ou tribos. As pessoas são todas tribais, independente de quantas misturas tem essa tribo. Ainda assim, há um natural cenário tribal estabelecido ali, um estereótipo de comunidade formado onde esperamos que haja lideres para nos dizer coisas (quando fazem de conta que falam para nos), que queremos ouvir em seus discursos.

 

É como uma “família”. Antigamente, a palavra família costumava ser uma boa palavra, agora sugere algo para se olhar com desaprovação. Hoje em dia, vivemos numa “aldeia global”, expressão essa cunhada por Marshall McLuhan. Há um governo paralelo, e sempre houve um. Por muito tempo no Reino Unido, se referia a isso como “o sistema”. As pessoas que tentavam investigar a perda de seus seres queridos com os que trabalhavam no serviço social, e etc., se deparavam com estes funcionários protegidos por uma muralha de concreto e que, de vez em quando, quando decidiam sair de trás da sua muralha para dizer: “Olha, filho, esta é a maneira como você pensa que o mundo funciona, mas “este” é como ele de fato é. Agora, vá para a casa e não seja inoportuno.” É assim que o mundo realmente funciona.

 

As Nações Unidas apenas representam a expansão do império global, e é por isso que ela foi criada.  Assim, as mesmas pessoas que a estabeleceram são as que nos deram todas essas guerras anteriores à sua criação, para depois dizer, “Oh, não podemos continuar como todas essas guerras terríveis. Você, cidadão sozinho, não tem forças para vencer. Necessitamos um sistema mundial para eliminar todos esses problemas”, o que, para as pessoas comuns, soava bem razoável, já que essas pessoas estavam cansadas de tanta guerra. Portanto, nos esquecemos que esta nova Nações Unidas, na verdade, usa uma nova roupagem da que foi a Liga das Nações (e que também foi fundada para ser um governo mundial), a qual servia para controlar a todos nós, com diferentes programas, mas sempre com o objetivo de manter a sociedade planejada e controlada.

 

Então, depois de tantos e tantos anos, a verdade começa a se esclarecer. Vemos que a elite não tem culpa pelas guerras. Claro que não! Desde o ponto de vista deles, “a culpa é sua, o proletário. É por isso que você foi chamado e jogado no serviço militar: para matar outras pessoas... pessoas comuns como você. Você é o problema! Há demasiada gente como você e é necessário te manter distraído, se não, você poderia causar distúrbios e, então, o melhor é te manter ocupado fazendo guerras de vez em quando…  Há tanta gente, que o melhor é matar você, e outros iguais a você”. É simplesmente a mesma técnica que tem sido usada até os dias de hoje.

 “Quanto ao aquecimento global, ele ocorre por que você respira dióxido de carbono, e há gente demais respirando...” a culpa é sempre sua, percebe? A não ser que você seja um psicopata. Um psicopata é feito de puro ego. Eles são puro ego! Aonde quer que eles surjam, eles necessitam jogar, imediatamente, a culpa nos outros. É por isso que eles têm essa consciência impecável: por que eles acreditam em suas próprias mentiras e possuem a capacidade de racionalizar qualquer coisa.

 

Anos atrás, algumas pessoas utilizaram as ondas curtas de uma rádio norte americana para disseminar sua própria doutrinação sobre estudos que fizeram a respeito dos pais fundadores do modo de vida e cultura norte americana — muitos deles eram maçônicos, sobre os quais você pode encontrar informação a respeito em seus próprios escritos e nas livrarias maçônicas. Quanto mais se aprofundavam em seus estudos (pessoas como, por exemplo, Bill Cooper, que tentou difundir sua forma ambígua de pensar, já que ele foi criado em bases militares, quando seu pai servia às Forças Aéreas), mais deixavam transparecer aquilo que eles acreditavam e amavam em sua doutrinação, ou seja, Deus, o país, a bandeira e todas essas coisas que sintetizam o meio de vida norte americano.  Ele tentou disseminar a idéia de que esses maçônicos deram uma chance ao povo norte americano, e que eles poderiam tanto viver em liberdade como em escravidão. Se eles não conseguissem a liberdade, viveriam como escravos. Essa era a maneira como ele racionalizava as coisas. Mesmo quando encontrou em seus estudos um desvio sobre o que estaria por trás da maçonaria, ele não podia superar sua crença e, assim, tentou se apegar a ela até que já não pôde mais.  Isto é uma parte do que o derrubou, levando-o ao seu fim, por que todo o seu mundo começou a colapsar. Ele percebeu que, aquilo pelo qual ele lutava por manter, nunca pertenceu a ele. Nunca foi dele. Ao final, foi isso o que eu captei ao escutar alguns dos seus discursos.

 

Como algo pode ser bom e ruim ao mesmo tempo?  O velho problema discutido em todas as religiões é “o que é bom pode vir a ser mau”? Algumas religiões clamam haver resolvido esta questão e chegam a se comprometer com tal alegação. As maiores revoluções foram chamadas “experimentos” — grandes experimentos. A Inglaterra, foi a primeira, porém, terminou com a monarquia no topo. É mais fácil manipular as pessoas quando elas pensam que são livres. Assim, se permite que alguns dos proeminentes psicopatas disputem o poder permitindo-lhes manipular o dinheiro público, o qual é o verdadeiro objetivo: poder meter as mãos no pote de mel do dinheiro das taxas públicas — com empregos vitalícios, renda extra garantida e benefícios especiais. É tudo o que se pode esperar de um sistema monetário feito de ganhadores e perdedores, sucesso e fracasso; a mesma coisa. Isto é um sistema psicopata.

 

Não se assuste por causa disso. Ainda hoje, há algumas pessoas que, por anos, vêm tentando, em vários programas de rádio, salvar o que restou do sistema no qual eles cresceram, conforme ele foi mudando.  Sigo dizendo, "é possível querer salvar algo que nunca foi seu, que nunca te pertenceu?" Algumas pessoas, talvez seus familiares, não vivam tão mal como outras pessoas; ou talvez sim, mas essa é uma pura questão de oportunidade. Como você pode viver num sistema justo quando a maioria das pessoas estão brigando ou se atacando mutuamente, ou até mesmo morrendo de fome, em algumas situações?  Não faz muito tempo na história, a Grande Depressão (Norte Americana) jogou milhões de pessoas na sarjeta. Milhões perderam seus lares, muitas perderam suas fazendas. As famílias passaram a ser ambulantes, pois o sistema bancário atuou como de costume, exigindo suas propriedades, porque as armas contra elas estavam nos tribunais. Os cobradores de impostos seguem como sempre, e isso não pára nunca, ainda que as pessoas já não possam mais gerar dinheiro. Tudo isso pode voltar a acontecer a qualquer momento, e é por isso que tudo o que gerou tal desespero nunca pode desaparecer.

 

George Soros se juntou a outros dois amigos para fazer um pequeno saque ao sistema Britânico, roubando o então chamado Banco de Inglaterra e forçando o governo a emprestar milhões de libras de banqueiros internacionais, para os quais Soros trabalhava na época. Em seguida, fugiu com o dinheiro gabando-se da sua peripécia nos principais jornais ingleses. O sistema nunca mudou. E porquê não mudou? Não mudou por que, assim, se pode repetir uma e outra vez as mesmas situações, dando a você um “grand finale” com relação ao que virá no futuro. Este é o mundo real em que vivemos.

 

Prosperidade é apenas um período que nos dão a permissão de viver. Desde os anos 60 e 70, muitas gerações têm sido compradas com cartões de crédito e aposentadorias, às quais nunca imaginaram aceder antes, com o objetivo de mantê-los calados, plácidos e estúpidos, para que não reclamem, permitindo que todo esse jogo do sistema aconteça até que a próxima geração veja o tapete sendo puxado de debaixo de seus pés. Não é tão difícil imaginar isso quando você percebe que gerações tem sido cientificamente preparadas para tal acontecimento. É por isso que o egoísmo tem sido encorajado, e a “geração eu” nunca deixou realmente de ser motivada. Bens materiais têm inundado o mercado com as quinquilharias baratas vindas da China, unida aos múltiplos cartões de crédito que todo mundo está usando. Vivemos num constante frenesi, enquanto agressivas mudanças vão acontecendo ao nosso redor, como grandes muros que nos vão cercando por todos os lados. As pessoas estão num frenesi por consumo de bens materiais. Qualquer coisa serve para faze-las parar de pensar em qualquer outra coisa que realmente seja importante.

 

Não acredito que existe sequer um jornal no mundo que não tenha sido mensageiro de declarações legalistas, que tenham relação com chips de todo tipo; uma sociedade totalmente controlada e assim em diante. Sempre disseram às pessoas, tecnicamente e legalmente, que elas fazem as suas próprias escolhas; se elas se lembram ou não, aí, já é outra coisa. Trata-se de escolha pessoal, o que, no fundo, é uma verdade. Todo mundo está tomando as suas próprias decisões sobre o que vai acontecer no futuro e, talvez, mais do que isso, no sentido de suas próprias vidas, em termos que elas nunca imaginaram. O custo de manutenção das grandes cidades, as “super cidades” (como as Nações Unidas determinaram que se chamassem as cidades criadas devido à fusão de cidades menores que se situam ao redor daquelas), conta com grandes investimentos em infra-estrutura, para favorecer que milhões de pessoas migrem diariamente para elas fazendo, assim, com que os preços do gás, da gasolina, do diesel, e tudo o mais, subamfazendo, assim, com que os preços elaslhoes mramdianteae seja importantecionais machucando, ao mesmo tempo em que essa forma desenhada de desenvolvimento força as pessoas a se locomoverem por essas estradas.

 

Sob o protocolo de Kyoto, eles tentam tirar de circulação todos os veículos dispensáveis; sob o habitat da agenda das Nações Unidas, a "Agenda 21," eles planejam que todo mundo esteja vivendo, com exceção das classes burocratas e, talvez, alguns das classes militares, dentro dessas super cidades. O custo de manutenção das infra-estruturas dessas super cidades é astronômico, se você considerar todos os sistemas de saneamento básico e outros sistemas que funcionam no subsolo que tem que ser reconstruídos e mantidos (por que nada que o homem faz dura para sempre, exceto, talvez, pelo mau) o custo de reparação e modernização dessas coisas é realmente exorbitante.

 

Não está subentendido que essas super cidades durarão para sempre. Possivelmente, haverá cidades pequenas onde agora estão as capitais, com apenas uma população imprescindível; imprescindível para a elite. A humanidade, ou o que quer que permaneça do que um dia foi humano, como clones geneticamente modificados e programados para aperfeiçoar o design ideal de IDentificação, viverá nelas, sempre que a elite já tenha sua bem confortável propriedade nas pequenas cidades. Esta não é uma idéia nova. Ao contrário, é uma idéia antiga que se remete ao antigo Egito, onde Platão, Pitágoras e muitos outros de seu tempo foram educados.

 

Platão, em "A Republica", cujo livro é leitura obrigatória da elite de todos os tempos, conforme o próprio H.G. Wells, quando falou a respeito dizendo ser este seu livro favorito. Primeiro e favorito.  Neste livro, Platão fala sobre o “estado perfeito” (ele fala sobre um “mundo estado”), formado por guardiões que dirigem todo o mundo, e como eles modificariam a classe trabalhadora no sentido de operarem em tarefas especializadas, criados especificamente para elas. Naquela época, eles desconheciam, ou pelo menos não falavam sobre modificação genética. Ele somente cita as velhas técnicas de domestificação de animais caseiros, assim como as qualidades mentais deles, ou falta delas, podendo inserir ou excluir essas qualidades através de criação seletiva.

 

Utilizando a forma de diálogo entre duas pessoas, ele vai ensinando e comentando a beleza de se ter pessoas mantidas pelos grandes estados, onde a elite poderia viver.  Ele diz a essa outra pessoa do diálogo, “qual é o objetivo de mantermos nossas grandes casas”, e eles também tinham casas de férias, tal como a elite sempre teve, perto da costa ou em algum lugar perto do mar. Ele diz: “o custo é inacreditável e você acaba com medo de ser roubado. O pessoal que você emprega te roubará, e você sempre terá que manter todos os gastos usando o seu dinheiro para isso”. Acrescenta, “o melhor é ter gente que faça tudo isso para você, em um estado de mundo perfeito”. É para isso que servem os impostos.

 

Se você olhar para as grandes organizações fiduciárias, e a quem eles suprem, verá que as grandes famílias do planeta tecnicamente não possuem nada, pois são todas mantidas com dinheiro público; e sempre tem sido assim. Este é o mundo real. Enquanto agem dessa maneira, vão te dando uma realidade alternativa, em que você acredita que se trabalha o suficientemente duro, poderá comprar o seu próprio lugar, e que este será seu. Nunca foi seu, já que pode ser tirado de você a qualquer momento, como já vimos em diversas ocasiões, em muitos anos, e ainda hoje segue assim. As pessoas perdem suas casas todos os dias, em todos os lugares do mundo, seja através de agencias governamentais ou empregados do governo trabalhando a favor dos bancos, um ou outro. Este é o mundo real.

 

Como você poderia salvar isso? Por quê você quereria salvar uma ilusão? 

 O que devemos fazer é olhar para isso de uma forma alternativa, não da maneira deles, mas de uma maneira diferente capaz de ver mais além do que aquilo que nos é proposto. Uma outra forma de ver, que deveria ser completamente distinta, e que teria um forte caráter humanitário, e não desumano como é o deles. Portanto, tentar salvar aquilo que pensamos que possuímos, não é nada mais que ilusão. Você não pode salvar o que nunca foi seu. Como você conseguiria salvar algo, quando está preocupado, apressado, correndo para dar conta de dois ou três empregos?  Se você está de alguma maneira casado, seja temporariamente, como a maioria das pessoas, provavelmente, quase nunca vê o seu parceiro, ou seus filhos.  Você nunca viverá em verdadeira tranqüilidade, por que sabe que não está muito distante do sujeito que vive nas ruas, se perder sua saúde e tiver que deixar de pagar a hipoteca ou os impostos, qualquer um dos dois.

 

Você pode agradecer ao Instituto Real de Relações Exteriores e ao Conselho de Relações Internacionais, organizações estas existentes tanto no Reino Unido como nos Estados Unidos, e que são a mesma organização. O Conselho de Relações Internacionais é somente a filial norte americana. Eles criaram, e se orgulham de haver criado em seus próprios livros e registros, os impostos sobre a propriedade. Assim, implantaram essas duas taxas em ambos os países. Foi mais um “deve ser”. Estes são os mesmos sujeitos que trabalharam fervorosamente durante um século para fazer uma Europa Unida, as três Américas Unidas e o conglomerado do Oceano Pacífico, o “Pacific Rim”. Não importa o lugar, eles estão por todas as partes impondo as mesmas condições e taxas sobre os governos locais. Eles têm suas atividades garantidas por que, na verdade, todos os que estão no topo desses governos sabem, realmente, para quem estão trabalhando, e nunca dizem não aos seus mestres.

 Este é o verdadeiro mundo, e devemos começar a olhar mais além de maneiras alternativas, e não sob a óptica desumana em que todos estão desconectados de todos os demais. Isto não significa que você deve sair por aí amando todo mundo, pois há um montão de gente sórdida entre as pessoas comuns, assim como há no topo da pirâmide. A psicopatia não é exclusividade de uma classe ou outra. No entanto, também há muitas pessoas boas e decentes no mundo. Eu, particularmente, acredito, que estas são a minoria neste mundo atual.  Se é assim, então, a maioria, que ama a democracia, não é apenas uma multidão governada, pois a elite sabe que a multidão sempre irá na direção que o governo queira que eles vão, e então a multidão seguirá seu caminho, de certa maneira.

 

É verdade que ser ignorante é diferente de ser estúpido. Ser ignorante sobre algo, quando a informação está aí, também é uma questão de escolha. Se o seu QI está dentro de um certo nível, você não tem desculpa, dizendo que é difícil demais para estar a par dos fatos, ou em enfrentá-los, ou mesmo em aceitar a realidade, pois esta também é uma questão de escolha. Este tipo de escolha tem dividido a muitas pessoas e relacionamentos. Quando uma pessoa se desperta e está num relacionamento, mas o seu parceiro não (ou pelo menos chega a entender até um certo limite mas não quer ir além disso, por que assim o escolheu), a outra pessoa, que já despertou um pouco além do seu parceiro, terá de escolher entre sufocar a si mesma, o que gerará uma úlcera gástrica e a uma forma de auto-destruição ou, então, ir adiante com suas descobertas. Tudo depende da sua consciência.

 

Costumava-se dizer que a consciência é uma conexão com a divindade interior. Pode que seja assim. Poderá ser também que estamos vivendo numa era em que, como costumo dizer, a maioria não tem consciência, por que os psicopatas do topo estimulam esta “patocracia”, além de te oferecer esse tipo de cultura que você segue, a qual é desumana. Mais que isso, você aceita a cultura da psicopatia ensinada por eles como se fosse algo normal, uma cultura egocêntrica, onde ensinam as pessoas a não olharem para o lado negativo da vida. Olhe para o lado positivo, o qual é o jeito psicopata de ver as coisas e que significa que você está jogando a sua consciência pela janela, por que a consciência das coisas te trairá, necessariamente, para a responsabilidade — se você tem consciência delas.

 

Não pretendo te dar nenhum tipo de sermão, espero. Eu apenas quero demonstrar as coisas como elas são, como serão e como poderias ser diferentes.  Não creio que há alguém vivo hoje suficientemente honesto para dizer, a final de contas, que ignora o mundo atual. Não saber também é uma escolha e, certamente, não se incomodar também é uma escolha. Em todas as eras, deve haver existido pessoas que entendiam o tempo em que viviam com certa clareza. Eles entendiam a realidade das coisas. Eles entendiam o passo em que o mundo se movia ao seu redor, no sentido de uma eventual estrutura global de dominação. Estas pessoas podiam ensinar a outras e a sabedoria poderia ser passada adiante, sabendo que havia ainda muito tempo pela frente.

 

Porém, existe a Era de Aquário, que foi a era desenhada há muito tempo (ou escolhida há muito tempo) para trazer a solução final, até onde a elite a permite. A trindade de “dois e um, igual a três”, o “duplo e o um”, tem sempre estado lá nos mais altos círculos ocultos, com todos os seus significados. No século 21 (dois e um), foi escolhido há muito tempo, como uma forma de conclusão de uma longa parte do plano. Portanto, o tempo de passar ao conhecimento está delineado para um fim; e isto é muito claro.

 

Se você olha ao seu redor, hoje, e daqui em diante, a cada cinco anos, e etc., você volta a passar pelas mesmas situações; você entrou num bizarro circo de fantasia. Apenas observe o que está sendo ensinado e dado às crianças e como as coisas estão em constante mudança. O mundo delas é supra-real. Elas já estão condicionadas por chips e realidade virtual. Na verdade, estão quase dentro dessa realidade, por que quando elas estão dentro desses jogos ou quase, já não são elas mesmas, pois perderam sua identidade. Elas estão sendo preparadas para o próximo passo, e o tempo corre rapidamente, muito rapidamente.  Não há movimentos de massa fora dali, e se existisse algum que pudesse atuar contra esse sistema, você poderia ter certeza de que eles se infiltrariam, levados por aqueles que te levariam a um ajuste de contas e a uma eminente derrota.

 

Não existe nenhum grande movimento contra tudo isso. O sistema é tão multifacetado, que te envolve com um forte movimento, em que você se sente como o buraco central da roda de uma carruagem recebendo pressão por todos os lados, com ferros encravados ao teu redor, fechando-se num circulo completo — estas são todas as vias de acesso para atacar você neste momento.  Há muitos grupos especializados em cada um dos ferros dessa roda, e nenhum poderia realmente lidar com os outros. Ainda assim, as respostas são realmente simples. Sempre foram simples. Algumas delas já mencionei em outras conversas; sem nunca colocar muito ênfases nelas, e não acho que deveria, pois as respostas estão contidas nos próprios fatos.

 

Quando você conhece o lado escuro do que é sabido, do que está por vir, porquê então temer a direção não conhecida de uma escolha pessoal? Não há opção. O triste de isso tudo é que a maioria das pessoas que são totalmente doutrinadas e que vivem temerosas, preocupadas e apressadas, tentarão persistir nesse sistema, o mesmo que as levarão à sua decadência, ao seu fim. Isto não tem que ser assim para todos. Todo mundo, é verdade, no seu dia-a-dia, está fazendo sua própria escolha, e outra escolha, e outra. Temos que buscar formas diferentes de vida ou, então, arriscar viver no esquecimento completo da mente consciente. Tudo o que ficar será como ter programado robôs. Qual é a finalidade de estar aqui, por milhões e milhões de anos, com a habilidade de se ter percepção? A habilidade de amar, de cuidar, de sentir dor, de ter todas as emoções para apreciar o mundo e a natureza que nos rodea.

 

Aqueles que estão despertos e conscientes, seguramente sabem que os que estão ao seu redor, e que não tem interesse em saber sobre esses assuntos mais profundos, estão obtendo informação através da mídia oficial, devido ao sistema legalista em que vivemos. Assim, os futuros historicistas e historiadores atuais sempre poderão dizer, “disseram à população para agüentar isso e aquilo e eles não reclamaram”. Em outras palavras, isso dá uma falsa versão dos fatos para aqueles que os lerão no futuro, o que em parte é verdade, por que eles consentem com o seu silêncio. Não podem verdadeiramente dizer que desconhecem os fatos, pois a verdade é que eles não se importam com ele; e mais, se você não se importa por aqueles que caem á sua frente, logo, o mesmo poderá passar com você. É a lei de sobrevivência da natureza. Empatia pelos outros assegura a sua própria sobrevivência. Isto é algo que Bertrand Russell e outros falaram a respeito, quando disseram que iriam encorajar uma sociedade egocêntrica, ego-conformista, que ajudaria a separar as pessoas entre si através do pensamento “eu e meu ego”.

 

Todas as religiões têm dito a mesma coisa (todas as religiões), pelo menos é assim nas partes de seus textos que foram mantidas inalteradas ao longo do tempo. Nós todos já escutamos uma frase que diz: “trate os outros como você gostaria de ser tratado”. Não trate as outras pessoas de uma maneira que você não gostaria de ser tratado, e isto é uma grande verdade, e mais, se você não se importa com as outras pessoas, como você se importa consigo mesmo, então, eu digo, quem vai se importar por você?

Você não pode salvar algo que nunca foi seu. Esta parte da história está quase atingindo o seu final nesta fase particular do percurso, mas vai seguir a partir dela. A humanidade e os genes que você carrega são material genético, material de construção da sua estrutura, o qual terá as partes que interessam para tarefas especializadas devidamente selecionadas, com o propósito de desenhar pessoas para o futuro; seus servos.  Enquanto isso, a elite, como eles dizem, até onde a inteligência deles alcança em sua capacidade mental, e seu instinto de sobrevivência, se mantém inalterada. Isto foi escrito por Arthur Kõestler em seu livro "O Fantasma da Máquina," por Russell, Aldous Huxley, e muitos, muitos outros.

 

Esta pauta sempre tem estado na agenda mas, para o resto da humanidade, vamos gradualmente sendo, passo a passo, alterados; primeiro alterados, depois nos colocam o chip, então, seremos como não-pessoas por que já não poderemos pensar individualmente. Ao mesmo tempo em que eles vão fazendo essas coisas com total êxito, ainda sobra espaço para criar pessoas com propósitos-humanos, o desing Ideal. Não é uma boa notícia, mas ninguém disse que seria fácil, não é? 

 

Sempre digo às pessoas que vocês são seus próprios campeões. Não procure heróis ao seu redor. Isso foi adotado pela mídia e Hollywood. “Todos necessitam um herói”, como diz a música... Isto somente o leva à sua própria destruição, por que ninguém pode ser herói para você, além de você mesmo.

 

Para Hamish, meu cachorro, e para mim, será uma boa noite, e que seu Deus ou Deuses estejam com vocês.

 

 "Turn, Turn, Turn" (“Gira, gira, gira”)

de Judy Collins

 

Para todas as coisas (gira, gira, gira)
Há um tempo (gira, gira, gira)
E um tempo para cada propósito, sob o firmamento

 

Um tempo para nascer, um tempo para morrer
Um tempo para plantar, um tempo para colher
Um tempo para matar, um tempo para curar
Um tempo para rir, um tempo para chorar

Para todas as coisas (gira, gira, gira)
Há um tempo (gira, gira, gira)
E um tempo para cada propósito, sob o firmamento

 

Um tempo para construir, um tempo para romper
Um tempo para dançar, um tempo para lamentar
Um tempo para afastar as pedras do caminho, um tempo para juntar pedras

Para todas as coisas (gira, gira, gira)
Há um tempo (gira, gira, gira)
E um tempo para cada propósito, sob o firmamento


Um tempo para amar, um tempo para odiar
Um tempo de guerra, um tempo de paz
Um tempo para abraçar, um tempo para isolar-se

Para todas as coisas (gira, gira, gira)
Há um tempo (gira, gira, gira)
E um tempo para cada propósito, sob o firmamento


Um tempo para ganhar, um tempo para perder

Um tempo para rasgar, um tempo para remendar
Um tempo para amar, um tempo para odiar

Um tempo de paz, eu juro que não é tarde demais 

 

Para todas as coisas (gira, gira, gira)
Há um tempo

E um tempo para cada propósito, sob o firmamento

E um tempo para cada propósito, sob o firmamento

 

(Traduzido por Marley Brasil Legaz)